Newsletter para escritório de advocacia: saiba o que é e como fazer

Utilizar uma newsletter para escritório de advocacia pode ser um excelente meio de divulgar o trabalho para os seus clientes. Inclusive, uma agência de marketing digital pode ajudar e muito a planejar esse tipo de estratégia de negócios.

Esse tipo de boletim informativo é enviado de forma recorrente para as pessoas que se cadastrarem em seu site, desejando o conteúdo. Essa ferramenta é ótima para apresentar novos temas, sites e muitas outras informações.

As newsletters são uma importante ferramenta para o que chamamos de Inbound Marketing, ferramenta fundamental na captação de novos clientes e na autoridade da marca no mercado.

Com isso, é possível conseguir uma base fiel de pessoas que o acompanham, uma vez que para receber a newsletter, obrigatoriamente, tem que solicitar o envio.

Porém, é importante estar atento e seguir as normas da LGPD, a Lei Geral de Proteção de Dados, que determina que os dados coletados para com a finalidade do envio da newsletter, precisa ser usado somente para esse fim.

O descumprimento dessas leis geram multas que podem chegar até a R $50 milhões de reais.

Aprender como fazer marketing de conteúdo é fundamental para se manter ativo no mercado hoje em dia.

A newsletter possui um grande impacto na vida daqueles que a assinam, pois estão interessados em um conteúdo personalizado e que acrescente algo positivo em seu cotidiano, como descobrir uma nova forma de fazer algo ou aprender sobre um novo assunto.

Os assinantes buscam consumir informações que passam credibilidade e veracidade, com segurança de que os tópicos apresentados são desenvolvidos por especialistas, seja falando sobre um projeto data center ou sobre leis trabalhistas.

Criando uma newsletter para o seu escritório de advocacia

As newsletters são uma ferramenta fundamental para o setor, uma vez que, além de acrescentar valor para a produção de inbound marketing, se encaixa nas regras do Código de Ética da OAB sobre publicidade profissional.

Sendo assim, essa é uma ação de marketing digital que pode acabar gerando resultados muito positivos.

É importante se atentar também ao tipo de conteúdo que você pode apresentar em uma newsletter jurídica. Elementos como:

  • Notícias;

  • Vídeos;

  • Imagens;

  • Textos Profissionais.

Por ser uma fonte de contato muito mais próxima com seus clientes, é possível usar no conteúdo um tom mais informal, mantendo sempre o profissionalismo e qualidade do conteúdo.

Outro ponto a ser levado em consideração, é o design de sua newsletter que precisa ser planejado de forma eficiente para estimular os usuários a acompanharem o conteúdo.

É importante pensar que atualmente as coisas acontecem muito rápido na internet. Portanto, um e-mail que tenha muitas imagens, ou um conteúdo que demore muito para carregar, pode acabar indo para a lixeira sem que a pessoa leia o material completo.

Seu cartão de visita advocacia no mundo digital é seu atrativo, portanto, crie o conteúdo com muito zelo e planeje a sua divulgação.

É fundamental que o acesso seja rápido, clean e principalmente responsivo. Isso porque hoje em dia a maioria das pessoas usam diversos dispositivos para acompanhar seus e-mails, como computadores, tablets e smartphones.

Cada um desses aparelhos possui uma resolução em específico, então, não estar preparado para isso pode fazer a leitura ficar mais difícil e o cliente perder o interesse.

Procure sempre designs responsivos, que se adaptam à tela de quem está consumindo o material.

A frequência de suas publicações também é algo a ser levado em conta. Embora não haja uma quantidade de dias específica para as postagens, é importante lembrar que ela precisa ser consistente.

Quem irá definir se o conteúdo da newsletter será mensal, bimestral ou em outra frequência é você, que de fato estará criando o material. Mas é importante lembrar de não deixar muito tempo sem enviar, ou criar várias newsletters em um tempo muito curto.

O principal fator para tomar cuidado quando criar sua newsletter é a qualidade de seu conteúdo. Seus textos devem estar alinhados com seu propósito e com o seu público.

Desta forma, você garante que as pessoas receberão qualidade e continuarão acompanhando seu trabalho por mais tempo, além de lembrarem de você quando precisarem de aconselhamento ou serviços de sua área de atuação.

Tente manter suas newsletters o mais interativas possíveis. Não envie textos fechados em PDF ou imagens estáticas.

Sua newsletter deve ser uma porta de entrada para mais conteúdo, através de links para matérias de seu site ou blog, e de outros produtores de conteúdo.

Alguns conteúdos podem ser mais variados, como a criação de um calendário personalizado com fotos para impressão. Isso ajuda a criar uma relação mais próxima com seu público.

Assim, haverá um aumento no tráfego de seu site, convertendo mais clientes para seu escritório uma vez que, com o acesso completo, eles poderão conhecer mais sobre seu trabalho e o trabalho de sua equipe.

Boas práticas para uma newsletter

Conteúdos bons são essenciais, mas não o suficiente para garantir que sua newsletter terá sucesso em seus objetivos. Compreender como utilizar essa ferramenta da melhor forma é uma situação fundamental.

Alguns elementos precisam de um cuidado adicional para melhorar um resultado de sua newsletter, por isso, abaixo seguem pontos ao qual deve se atentar.

1. Personalização

Hoje em dia, as pessoas estão acostumadas a um tipo de atendimento personalizado. É muito mais intimista e interessante para as pessoas que você crie um relacionamento com elas.

Quando um cliente se inscrever em sua newsletter, envie um e-mail de boas vindas para ele.

Assim, você poderá se apresentar e apresentar seu conteúdo, passando uma sensação de confiança para o seu consumidor. Explicar os conteúdos que serão entregues também ajuda a preparar o público e identificar pontos positivos e negativos na sua estratégia.

2. Segmentação

É comum nos escritórios que você tenha uma série de clientes de diferentes áreas, com interesses variados.

Pensando nisso, é possível identificar nichos dentro de seu público-alvo para criar uma série de conteúdos diferentes, até mesmo mais de uma newsletter

Com isso, você torna seu conteúdo mais diverso e relevante, encontrando mais chances de negócios, ao mesmo tempo que transforma seu escritório em uma autoridade relevante em todas as áreas de atuação em que são exercidas.

3. Privacidade

Um dos elementos mais importantes para um cliente é sua privacidade. Isso inclusive converte em leis, como a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), que garante segurança e autonomia para os clientes decidirem se querem ou não consumir um conteúdo.

Por isso, é importante deixar claro a todo momento o que o cliente está assinando, quais tipos de conteúdo serão apresentados, bem como o fato de que ele pode deixar de receber quando desejar.

Além disso, é imprescindível que você tome cuidado com os dados do cliente. Armazená-los em segurança e impedir o acesso de terceiros é fundamental para criar uma boa imagem para a sua empresa e garantir a segurança daqueles que confiaram em você.

4. Referência

Hoje em dia, qualquer pessoa com um e-mail recebe um bombardeio de propagandas, então, identificar os conteúdos relevantes pode ser um grande trabalho. Um dos principais motivos para ter seu e-mail deletado é um nome impessoal.

Alguns termos costumam ser muito mal vistos e identificados como “SPAM”, e-mails desinteressantes que normalmente são descartados sem nem mesmo o conteúdo ser aberto. Por isso, atente-se aos seguintes pontos:

  • Contato;

  • Marketing;

  • Não Responda;

  • Noreply;

  • Vendas.

Colocar o nome de um representante de sua empresa, ou o seu próprio, é fundamental para conquistar mais confiança e garantir a seus clientes que o conteúdo que você está entregando vale a pena.

5. Análise

Todo seu esforço deve ser constantemente avaliado para identificar os resultados de sua produção. É preciso medir o quanto suas ações de inbound marketing estão gerando conversões e identificar os pontos positivos e os obstáculos de sua estratégia.

Identificar esses elementos é fundamental para pensar em melhorias tanto nos conteúdos quanto nas ações apresentadas, experimentando novas estratégias e modelos para gerar um conteúdo cada vez mais adequado.

Com base em suas descobertas, você pode encaminhar sua produção para um conteúdo mais adequado e para uma maior quantidade de clientes, com textos sólidos e interessantes sobre seus conhecimentos dominantes.

É muito provável que, com uma melhor qualidade e variedade de conteúdo em sua newsletter, a quantidade de inscritos comece a crescer.

Desta forma, seus clientes também começarão a aparecer mais, uma vez que iráoirá te considerar como referência em sua área de serviço.

Esse tipo de atividade pode ser feita em qualquer momento, como depois de deixar seus filhos na creche infantil. Com isso, você não toma muito tempo de seu dia e consegue se manter atualizado de todo o contexto.

Com o estudo adequado das métricas e com uma análise detalhada, você saberá os melhores dias, horários e conteúdos para explorar e tornar seu escritório um líder do mercado.

Esse texto foi originalmente desenvolvido em co-marketing pela equipe da Dgtalmente.7 e do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Redes sociais para clínicas: saiba a importância e como usar

O uso das redes sociais para clínicas médicas tornou-se praticamente indispensável nos dias de hoje. Muito disso, deve-se à popularidade dessas plataformas, que estão cada vez mais presentes em nosso dia a dia e nas campanhas de marketing.

Para termos uma ideia, o Brasil é o segundo país que passa mais tempo conectado à internet – e grande parte da população usa os canais online justamente para se relacionarem com outras pessoas e empresas através das redes sociais.

Portanto, se o seu estabelecimento está presente nesses canais, seja ela um consultório médico ou uma clínica geral particular, é muito mais fácil se aproximar dos pacientes e compartilhar conteúdos informativos sobre a área da saúde.

Além disso, as redes sociais permitem que os médicos invistam em marketing digital, sem descumprir os pressupostos do CFM (Conselho Federal de Medicina) e o Código de Ética, principalmente de acordo com a resolução no 2.126/2015.

Fora que não dá para ignorar a grande concorrência dos dias atuais. Atualmente, com o número cada vez maior de clínicas e consultórios particulares, é fundamental elaborar estratégias de marketing médico.

Diante desse contexto, surgem agências especializadas, como a RD Station. Com ela, é possível ter um marketing nas redes que atende os pressupostos do CFM e, além disso, contribui para melhorar o reconhecimento da sua clínica no mercado.

Por esse motivo, o artigo de hoje vai trazer algumas dicas de como usar as redes sociais para clínicas e mostrar a importância de usar essas mídias no seu planejamento de divulgação. Acompanhe a leitura!

Como começar a usar as redes sociais?

As redes sociais são ótimas ferramentas para atrair novos clientes, incluindo na área médica e outros serviços de saúde.

De certo modo, elas funcionam como uma espécie de cartão de visita fisioterapia e para outros profissionais, concentrando informações sobre clínicas, serviços e procedimentos.

No entanto, uma dúvida muito comum é: por onde começar? Afinal de contas, vivemos em uma época com o boom das redes, em que é possível encontrar várias plataformas de relacionamento e divulgação.

Porém, na área médica, três mídias se destacam: o Facebook, Instagram e LinkedIn. Além do grande alcance, elas contam com ótimos recursos, que potencializam o marketing da sua clínica. Abaixo, conheça mais sobre cada uma delas.

1 – Facebook para clínicas

O Facebook é a rede mais popular do planeta. Hoje em dia, a plataforma tem mais de 2,6 bilhões de usuários ativos todos os meses, sendo que mais de 1,73 bilhões de pessoas acessam o canal todos os dias.

Para a sua clínica, o Facebook pode ser usado de várias maneiras. A principal delas é para o compartilhamento de conteúdo relevante, como um hiperlink para um artigo sobre reeducação alimentar para emagrecer, por exemplo.

Mas o grande trunfo do Facebook está na sua ferramenta Audience Insights, que fornece dados completos acerca dos seus seguidores e público. Com isso, o seu marketing é orientado exatamente para o perfil ideal do paciente.

Com o Audience Insights é possível ter inúmeros dados, como:

  • Faixa etária;

  • Localidade;

  • Preferências;

  • Horário de navegação;

  • Entre outros.

 

Dessa forma, o marketing da sua clínica pode ser mais assertivo, compartilhando informações que realmente agradam a sua audiência.

2 – Instagram para clínicas

Já o Instagram também é uma rede muito popular, porém o seu foco está nas imagens. Portanto, é interessante trabalhar com conteúdos informativos, mas com mudanças no formato para atrair os pacientes.

Por exemplo, é possível compartilhar uma foto da harmonização facial definitiva e, na legenda, explicar mais sobre o procedimento.

Além disso, o Stories do Instagram também tem um espaço importante na produção de conteúdo para o marketing médico. De fácil consumo, devido à sua própria dinâmica, a sua clínica pode compartilhar mais do dia a dia, além de ser uma possibilidade de divulgação.

3 – LinkedIn para clínicas

O LinkedIn, diferentemente do Instagram e do Facebook, é direcionado para assuntos profissionais e networking. Tanto que a rede é conhecida como a maior plataforma profissional do mundo, integrando empresas e colaboradores de diferentes áreas.

Assim como o Facebook, o LinkedIn pode concentrar informações a respeito da sua clínica ou estabelecimento, funcionando como um cartão de visita esteticista e médicos.

Mas, além disso, uma forma de usar a plataforma é através do compartilhamento de conteúdos mais aprofundados e técnicos, já que a rede tem esse foco profissional.

Inclusive, o LinkedIn pode ser usado como marketing pessoal dos médicos, em que eles podem atualizar seu perfil com cursos, especializações, trabalhos realizados, entre outros.

A importância da produção de conteúdo para redes sociais

Independentemente da rede social escolhida para a divulgação da sua clínica, uma coisa é certa: você vai precisar investir na produção de conteúdo.

Além de ser uma forma de cumprir as recomendações do Código de Ética e resoluções do CFM, o conteúdo também acompanha o próprio comportamento do público atual, cada vez mais ávido por informações de qualidade.

Afinal de contas, quando alguém busca por limpeza profunda de pele com muito acne, o usuário não quer apenas um anúncio sensacionalista e invasivo, oferecendo o serviço, mas sim, informações a respeito do procedimento.

Entretanto, criar um conteúdo original não é um processo fácil. Por isso, a estratégia de marketing tem que ser muito bem planejada e orientada, para não correr riscos de comprometer a reputação do seu estabelecimento, bem como a sua imagem profissional.

Levando em conta esse momento em que vivemos, também chamado de “pós-digital”, em que a internet já é essencial em nossas vidas, conseguir se destacar nas redes é um desafio, porém, é algo indispensável.

Sendo assim, quando a intenção é atrair novos pacientes, a melhor forma é fazer uma divulgação eficiente do seu consultório. No entanto, isso não significa fazer um aluguel de telão para uma propaganda, mas sim, produzir conteúdos direcionados e relevantes.

Nas redes sociais, a grande vantagem é que esse material pode ter uma orientação muito mais eficiente, diante da disposição de dados a respeito da sua audiência.

3 dicas para criar um conteúdo relevante e original

Embora a criação de conteúdo original não seja um processo fácil, especialmente para as clínicas que estão começando agora a investir no marketing, é possível elaborar uma estratégia com base nas dicas abaixo. Confira!

1 – Conheça as especificidades de cada rede

Como mostramos anteriormente, cada uma das redes sociais possui a sua especificidade. Enquanto o Facebook é bem dinâmico e comporta vários materiais, o foco do Instagram é a imagem; já o LinkedIn, preza pelo aspecto profissional.

Conhecer as características de cada uma das redes sociais é a melhor maneira de orientar a criação de conteúdo relevante. Afinal de contas, ainda que o assunto seja o mesmo, como o que é um main power, por exemplo, ele deve ser abordado de formas diferentes.

O mesmo vale para a linguagem, visto que algumas redes sociais possuem um limite de caracteres, ou mesmo têm uma forma de abordagem diferenciada.

2 – Saiba qual é o objetivo do seu conteúdo

Para produzir o seu conteúdo, é necessário estabelecer o objetivo da publicação. Isso porque um material de engajamento terá um enfoque diferente, quando comparado com um post informativo.

Vale dizer que se a intenção é atrair mais pacientes, não é interessante escrever um artigo científico, como se outro médico fosse ler. Ao contrário, pense que você está produzindo algo para leigos, daí a importância da linguagem.

Esse é um erro muito comum no marketing médico, principalmente para as clínicas que não contratam agências especializadas, como a RD Station. Por mais informativo e rico que um conteúdo seja, ele também precisa ser acessível aos pacientes.

Caso contrário, ao invés de atrair novos usuários para as suas redes sociais, você pode causar justamente o efeito contrário.

3 – Tenha um cronograma de publicações

A produção de conteúdo também depende da frequência. Afinal de contas, de nada adianta produzir um único artigo no Facebook e esperar que a sua clínica alcance o reconhecimento no ambiente digital.

Pela própria dinâmica da internet, é preciso atualizar seus canais com uma certa frequência, por esse motivo, ter em mãos um cronograma de publicações é uma forma de evitar que a sua clínica caia no esquecimento.

Conclusão

A expansão das redes sociais fez com que essas plataformas conquistassem o protagonismo nas estratégias de marketing digital, incluindo na produção de conteúdo para clínicas médicas.

Entretanto, como vimos no presente artigo, não é tão simples assim fazer marketing para as redes. Por isso, contar com o apoio de uma agência especializada, como a RD Station, é o segredo para alcançar o sucesso.

Dessa forma, você conseguirá expandir o nome da sua clínica, ganhar reconhecimento no mercado e cumprir as disposições do CFM sobre marketing.

Esse texto foi originalmente desenvolvido em co-marketing pela equipe da Dgtalmente.7 e do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Redes sociais para escritórios de advocacia: saiba como utilizá-las

Já não é segredo para ninguém que a internet se tornou indispensável no marketing de uma empresa. Mas saber usar corretamente as redes sociais para escritórios de advocacia, pode ser um grande desafio, não é mesmo?

O assunto se torna ainda mais importante e interessante, se considerarmos alguns números que mostram como nós brasileiros utilizamos as redes sociais. Comparado com países da América Latina, somos o que mais passa tempo conectado nessas mídias.

Se aumentarmos a comparação para o mundo todo, ficamos em segundo lugar, perdendo apenas para as Filipinas, e deixando o Japão em terceiro. A pesquisa é da GlobalWebIndex, e revela que esses números aumentaram mais de 60% nos últimos anos.

Por outro lado, é conhecido, no setor jurídico, o Código de Ética e Disciplina, que prevê que os escritórios de advocacia, ou mesmo os profissionais liberais da área, não podem fazer marketing e publicidade para fins comerciais.

Acontece que isso confunde muita gente, mas na verdade, não impede toda e qualquer ação de divulgação. No fundo, qualquer negócio constituído que representa uma marca, pode e deve ser bem representado, especialmente na internet.

Aliás, o marketing digital está aí para provar que é possível fortalecer o nome da marca sem fazer qualquer tipo de apelo comercial, por meio do inbound e do marketing de conteúdo, que consistem em criar conteúdos originais e relevantes, que engajem o público.

Para deixar ainda mais claro, o Código de Ética da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) diz o seguinte no seu capítulo quarto, artigo vinte e oito, em “Da Publicidade”:

O advogado pode anunciar os seus serviços profissionais, individual ou coletivamente, com discrição e moderação, para finalidade exclusivamente informativa, vedada a divulgação em conjunto com outra atividade.

Ao falar sobre anunciar os serviços “com discrição e moderação”, a passagem não exclui o que hoje chamamos de marketing de conteúdo, que geralmente é praticado por meio de blogs, mas que também podem, e devem, ser usados nas redes sociais.

Daí surge a decisão de gerar conteúdo para blog, que traz dicas práticas (acompanhadas do auxílio dos devidos conceitos) para ajudar qualquer profissional da área a fazer uma boa atuação nas mídias sociais, com uma visão que vai além do superficial.

Também iremos te mostrar como deve ser feita a contratação de uma agência de marketing e de serviços da área, para desempenhar essa função profissionalmente. Então, para não ficar de fora desse universo cheio de vantagens, basta seguir a leitura.

Como e por que utilizar as redes sociais?

Atualmente é difícil encontrar uma pessoa que use internet e que nunca tenha se cadastrado em pelo menos uma rede social. Contudo, o olhar do usuário de uma mídia assim e o do profissional da área podem mudar consideravelmente.

Talvez, alguém que trabalhe com empresas de pintura industrial, tenha achado coincidência o fato de aparecerem algumas propagandas e banners, justamente sobre pintura, quando ele está logado nas redes.

Na verdade, foi intencional e muito bem programado. Apesar de não terem sido criadas com essa finalidade, essas plataformas estão cada dia mais intuitivas, e têm evoluído em termos de assertividade e eficiência comercial, se tornando uma grande aliada.

Então isso cai em contradição com o que foi dito acima, sobre o Código de Ética da OAB? Não! E por uma razão muito simples: você é quem decide que tipo de conteúdo será disseminado em suas redes sociais, podendo evitar anúncios apelativos.

Por esse motivo, a maioria das redes sociais permite um crescimento orgânico, o que significa que você não é obrigado a fazer anúncios e pagar para crescer ou impulsionar seus conteúdos. Aliás, esta é uma das suas principais vantagens.

O inbound marketing, é o que chamamos de prospecção passiva, que consiste em disseminar um conteúdo relevante para que os clientes cheguem até você. O oposto é o outbound, que faz prospecção ativa e lida com as famosas “promoções arrasadoras”.

Além disso, é preciso levar em consideração as etapas do funil de vendas. Um negócio de encadernação capa dura, por exemplo, pode usar as redes para potencializar toda a sua jornada de vendas, desde a geração de leads, até a conversão do cliente.

No caso da advocacia, as redes sociais vão ser utilizadas apenas para as primeiras etapas. Isto é, somente com a geração de leads e oportunidades. O que além de fortalecer a marca, permite uma segmentação com cada cliente em potencial.

Sobre cada mídia e seu planejamento

Não há exagero nenhum em dizer que existem redes sociais “para todos os tipos e gostos”, contudo, isso que pode parecer uma vantagem, esconde certa armadilha para as empresas.

Se uma imobiliária quer alugar uma sala de reunião por hora, será que faz sentido marcar presença em todas as redes, de maneira indiscriminada? Além do mais, marcar presença consiste apenas em copiar e colar o conteúdo de uma rede social para a outra?

As duas perguntas são extremamente importantes, e as respostas para elas são negativas. Não, não é preciso marcar presença em todas as redes, e também não basta apenas copiar e colar posts entre elas. Isso vale para imobiliárias, escritórios de advocacia ou mesmo para influenciadores digitais.

Portanto, o primeiro passo para os escritórios que estão começando sua inserção nesse universo digital, é fazer uma pesquisa de mercado para compreender quais redes têm mais relevância para o seu negócio, focando, por exemplo, na atuação da concorrência.

As principais que têm trazido possibilidades incríveis à área são:

  • Facebook: focada em textos e links;

  • Instagram: focada em fotos e lives;

  • YouTube: um vlog focado em vídeos;

  • LinkedIn: rede com foco corporativo.

Outro passo fundamental é o planejamento. Se você segue um canal de auto peças nacional, e adora o conteúdo, tenha certeza de que existe toda uma curadoria e uma agenda editorial por trás daquele trabalho, ou mesmo uma agência de marketing.

A verdade é que o público aprende a esperar por seus conteúdos, portanto é preciso que haja uma frequência. Além disso, não se cria um post poucas horas antes de publicá-lo, é preciso ter material com semanas ou meses de antecedência.

Facebook e Instagram: conteúdos que atraem

O modo mais eficiente de crescer nas redes é elaborando conteúdos esclarecedores, como post-listas do tipo “10 dicas sobre…”. Isso promove discussões e abre espaço para conteúdos mais densos, o que faz ainda mais sentido no marketing jurídico.

De fato, descrever o funcionamento de um produto como letra caixa fachada pode ser consideravelmente mais simples do que lidar, por exemplo, com direito tributarista. No Facebook, um modo de crescer rápido é levar isso em conta.

Para quem está começando sua inserção nele, um grande conselho é aproveitar conteúdos do blog da empresa, sempre tornando os textos mais curtos e fáceis de ler. Se o artigo já tem esse formato, basta fazer um post-link, que encaminhe para o blog.

Já no Instagram o desafio é um pouco maior, pois a rede não permite utilizar links ativos nos posts (somente no campo da bio, e nos stories, cumpridas algumas exigências). Contudo, seria um erro supor que essa mídia é relevante para advogados.

Imagine um médico fazendo uma live sobre exames médicos demissionais com alguma autoridade do assunto, isso não vai atrair a atenção do seu público? Com a advocacia é igual, e parcerias desse tipo podem aumentar e muito a autoridade da sua marca.

Nos dois casos, outro fator indispensável é o da interação com o público, que no fundo é a essência de qualquer rede social. Não adianta nada gerar os melhores conteúdos se o seu público não estiver engajado e não interagir com você.

Outras redes e automação dos processos

Quem ainda não se adaptou às redes sociais, precisa correr atrás do tempo perdido, pois hoje há influenciadores digitais que postam vídeos diários, até mesmo vários por dia. E se engana quem pensa que as empresas não fazem o mesmo.

Uma rápida pesquisa sobre a licença Ibama pode revelar que há pessoas falando, literalmente, sobre todo o tipo de assunto. Por isso, seu escritório ou sua marca de advocacia não podem ficar de fora.

Uma dica de ouro para iniciar no YouTube é adaptar seus conteúdos mais densos e já testados, transformando-os em script de vídeo. Assim, você não investe na produção de qualquer assunto, e terá um engajamento garantido.

Já o LinkedIn, que é focado no universo corporativo, também não deve ser limitado apenas às relações B2B, pois há muita pessoa física por lá também precisando de ajuda e de conteúdos do universo jurídico, principalmente em questões trabalhistas.

Além das próprias empresas, como por exemplo um negócio na área de refeição para empresa que pode estar precisando de consultorias jurídicas para saber como ampliar seu negócio.

Em todos esses casos, além da ajuda de um escritório de marketing, é bom contar com a tecnologia, que hoje atua por meio de automação de todos esses processos descritos aqui, como no caso do RD Station, que é o maior Sistema de Automação de Marketing do país.

Com isto, fica claro que as redes sociais podem ajudar e muito na construção de uma marca jurídica no meio digital, trazendo vantagens em curto, médio e longo prazo, quando é feito uma ação de marketing digital bem estruturada.

Esse texto foi originalmente desenvolvido em co-marketing pela equipe da Dgtalmente.7 e do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Conheça as tendências do Marketing Digital para advogados

As tendências do marketing digital para advogados estão sempre mudando para acompanhar o público-alvo desse segmento, assim como acontece com qualquer outro ramo do mercado.

A cada ano, novas tendências de marketing chegam e é importante estar por dentro, uma vez que elas acompanham o comportamento daqueles que geram as vendas: os clientes.

Precisamos saber quais canais e tecnologias vão ajudar o trabalho do advogado, pois assim garantimos a satisfação do cliente e a produtividade desses profissionais.

Quando investimos em marketing jurídico, significa que queremos que nosso negócio e nosso trabalho sejam divulgados. Contudo, também é parte desse processo saber o que muda e o que permanece nos próximos meses.

Isso é fundamental para garantir que o seu escritório esteja sempre inovando e acompanhando o comportamento do mercado e de seus clientes.

Nós sabemos que esses profissionais têm suas ações de marketing um pouco restritas, mas já está mais do que provado que eles conseguem sim divulgar seu trabalho sem ferir as normas da OAB.

Pensando nisso, neste artigo, vamos falar sobre a importância de estar sempre atualizado, suas tendências e como fazer marketing jurídico nas redes sociais. Então, se você tem dúvidas, confira até o final.

Importância de estar sempre atualizado

Para que as estratégias de marketing digital deem resultado, é preciso estar atento às suas mudanças, só assim conseguimos nos destacar em meio à concorrência.

A internet revolucionou a maneira como as pessoas se comunicam e se informam, da mesma forma ela também mudou o modo como consumimos produtos e serviços.

Por exemplo, se alguém quer comprar impressora de crachá, vai até o Google, pesquisa esse termo e encontra milhares de opções e informações a respeito dele. A mesma coisa acontece quando alguém precisa de um advogado.

Antigamente, era comum que esses profissionais fossem indicados ou que no máximo alguém encontrasse o telefone do escritório na lista telefônica.

A indicação ainda acontece, mas é na internet que eles tiram suas dúvidas e descobrem se precisam ou não de auxílio jurídico.

O marketing digital tem várias vertentes, como o Marketing Jurídico, Marketing de Conteúdo e modalidades como Links Patrocinados, anúncios no Google e nas redes sociais e estratégias de otimização, como o SEO.

Apesar de se manterem ativas, essas modalidades sofrem pequenas mudanças ao longo do tempo, visando se adequarem ao comportamento do consumidor e do usuário da internet. Além, é claro, de acompanharem a tecnologia.

Tudo isso só chega até nós porque esses formatos estão atentos à volatilidade do consumidor digital, e é papel das empresas, como uma de motoboy entregador, prestarem atenção a essas mudanças.

Nos últimos anos, por exemplo, as pessoas mostraram ter preferência por formatos mais dinâmicos, tais como:

  • Vídeos;

  • Áudios;

  • Infográficos;

  • Textos curtos.

No caso dos advogados, é preciso estar de olho nessas tendências, para usar as estratégias mais alinhadas ao perfil de seu público-alvo.

É dessa maneira, também, que eles evitam desperdício de tempo e dinheiro com práticas que não chegam a lugar nenhum.

Agora que você já entendeu a importância de estar por dentro das tendências do Marketing Jurídico, no tópico a seguir, vamos mostrar algumas das principais. Acompanhe.

Tendências do Marketing Jurídico

O Marketing Jurídico se expandiu muito nos últimos anos por conta do marketing digital, e assim como uma empresa de fretado de van, os advogados precisam adotar as melhores estratégias, dentre elas:

1 – Busca por estratégias de marketing mais eficientes

O Brasil vem passando por diversas crises, como a econômica e, agora, na saúde pública, com a chegada da pandemia. Muitos setores foram impactados, inclusive o jurídico.

O marketing é a melhor saída para lidar com esses problemas e ele não está restrito apenas aos grandes escritórios. É preciso cuidar de sua imagem na internet, com planejamento e contando com profissionais competentes.

A tendência é despertar para as possibilidades que um bom parceiro de marketing pode oferecer, sendo possível, inclusive, trabalhar no mesmo ambiente, em uma sala comercial compartilhada.

Em outras palavras, é essencial reservar recursos para contratar uma boa equipe ou profissional, dentro das suas possibilidades, o que ajuda a economizar tempo e dinheiro com estratégias que estão fora de foco.

2 – Não se vender apenas como advogado

Antigamente, dizer que era advogado era sinônimo de prestígio profissional e status, mas este mercado está saturado com pessoas que podem não ser tão boas no que fazem.

As novas gerações de consumidores formadas por pessoas nascidas a partir da década de 1980 são mais proativas, ou seja, elas vão em busca do que precisam na internet e também ouvem indicações.

Da mesma forma, costumam procurar aconselhamento jurídico especializado para suas necessidades, uma vez que estão inseridas em um ambiente rico em informações.

Em outras palavras, esse público está focado no que precisa e não no status profissional de quem vai resolver o seu problema. É exatamente por isso que cada vez mais surgem os escritórios especializados.

Eles reúnem profissionais focados em oferecer soluções pontuais e deixam serviços abrangentes de lado.

Ou seja, se o gestor de uma fabricante de stand evento quer vender uma casa, ele não precisa de um advogado para fazer isso. Só vai contratar por conta de exigências legais, e por isso, espera competência e experiência positiva.

Portanto, as ações de marketing devem ser focadas nos serviços prestados e não no profissional. É preciso reavaliar como você está se autopromovendo.

3 – Mais atenção ao cliente e na gestão

É difícil para um advogado manter uma cartela de clientes fiéis, visto que a maioria encerra o contrato ao término da ação.

Acreditar que o relacionamento tradicional entre cliente e advogado ainda surte efeito é um erro, pois a maioria, durante toda a sua vida, pula de um especialista a outro, cada vez que precisa.

Por exemplo, se uma pessoa precisa resolver um problema trabalhista, é um advogado nessa área que ela vai contratar. Anos depois, se necessitar pedir pensão alimentícia, por exemplo, vai procurar outro.

A presença na web ajuda a capturar novos clientes, assim como uma fabricante de etiqueta de patrimônio faz. Para isso, é essencial produzir conteúdos com caráter informativo, como os boletins.

Se acabou de encerrar um contrato, envie semanalmente materiais com informações relevantes para o e-mail de seu cliente, para estar sempre na memória dele.

Além dessas práticas, outra tendência para os próximos anos no Marketing Jurídico são as redes sociais. Vamos falar mais sobre isso a seguir.

As redes sociais no Marketing Jurídico

As redes sociais fazem parte do marketing moderno de qualquer empresa, até mesmo de um consultório especializado em exame toxicológico admissional. Portanto, ela também deve fazer parte das ações dos escritórios e advogados.

Tendo em vista as normas impostas pela OAB, muitos profissionais acreditam que só podem publicar assuntos sérios e conservadores nessas plataformas. Isso é verdade, mas podemos fugir um pouco disso, sem ferir a lei.

Usando soluções inovadoras como o RD Station, é possível se posicionar nessas plataformas como um solucionador de problemas para o público-alvo.

Isso é possível usando expressões nas publicações como “soluções jurídicas”; “serviços jurídicos especializados”, entre outros.

Nas plataformas mais usadas, como Facebook e Instagram, os posts de pessoas que contêm teorias jurídicas e imagens aleatórias já não atraem mais o público, porque está cheio de advogados que já fazem isso.

Se você vai falar da obrigatoriedade da licença ambiental de operação, por exemplo, faça isso de forma equilibrada, misturando-o com publicações sobre o seu dia a dia e do escritório.

Contudo, essas publicações não podem deixar de preencher os quesitos de sobriedade, moderação e discrição exigidos pela OAB.

Por fim, invista pesado em conteúdo, sempre levando em consideração que os advogados são profissionais formadores de opinião. Ou seja, são pessoas que têm palavra de valor na sociedade.

A internet é o ambiente perfeito para você mostrar todo o seu conhecimento jurídico e aumentar sua credibilidade e autoridade.

No entanto, lembre-se de que essas plataformas não favorecem conteúdos muito extensos e formais, mas podem ser uma excelente opção junto a links que levem os seguidores até as páginas, como sites e blogs do escritório.

Conclusão

Os advogados são profissionais essenciais para a sociedade, visto que eles são responsáveis por assegurar os direitos das pessoas. Mas seu trabalho deve, sim, ser visto como um negócio, afinal, é o meio de subsistência dessas pessoas.

Se estamos falando de um negócio, nos referimos a algo que precisa ser divulgado para atrair pessoas que se tornarão clientes.

Mesmo com as imposições da OAB, o marketing digital trouxe novas possibilidades para esses profissionais, sem ferir as normas e possibilitando que eles conquistem um espaço maior no mercado.

O segredo é se atentar às estratégias e, claro, às suas tendências, para ser um advogado competitivo e sempre pronto a solucionar as questões de seus clientes.

Esse texto foi originalmente desenvolvido em co-marketing pela equipe da Dgtalmente.7 e do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos

5 vantagens em contratar uma agência de marketing digital para sua clínica

Contratar uma agência de marketing digital para sua clínica traz inúmeras vantagens competitivas para o negócio, pois muitos consultórios possuem dificuldades quando o assunto é criar campanhas e estratégias digitais.

Hoje em dia, as clínicas, consultórios médicos e estabelecimentos na área da saúde estão investindo cada vez mais em oportunidades de crescimento online, visto o grande número de pessoas que busca orientação diretamente na internet.

Para termos uma ideia, pesquisas recentes mostram que 94% dos usuários buscam informações sobre saúde em plataformas online. A porcentagem de buscas em revistas é significativamente menor, de apenas 44%.

Por esse motivo, oferecer informações e conteúdos relevantes aos usuários é uma maneira de se destacar da concorrência, além de posicionar a sua marca e o nome da sua clínica no mercado, para atrair um número cada vez maior de pacientes.

Claro, sem deixar de seguir as recomendações do CFM (Conselho Federal de Medicina), bem como os Códigos de Ética dos demais órgãos. Daí a importância de contratar uma agência de marketing digital, para a construção de campanhas assertivas e de qualidade.

No artigo de hoje, conheça as vantagens em contratar uma agência de marketing digital para sua clínica.

1 – Melhora a visibilidade do seu site

Atualmente, quase todos os tipos de negócio têm um website. Afinal, é uma maneira de obter destaque no mercado, além de ser um ambiente que concentra as principais informações sobre a sua clínica, incluindo contatos, endereço e horários de funcionamento.

Inclusive, é muito comum procurarmos por uma clínica veterinária popular, por exemplo, diretamente nos mecanismos de busca, para encontrar um site.

Por esse motivo, é importante garantir a visibilidade da sua página, principalmente nos sites de pesquisa – algo feito por meio da estratégia de SEO (Search Engine Optimization, ou otimização para os mecanismos de busca).

Tanto que, hoje em dia, ter um website bem feito e estruturado equivale à importância da entrega de um cartão de visita nutricionista ou de esteticista, por exemplo. Isso porque ambos precisam conter informações e atrair os clientes

Sendo assim, uma grande vantagem de contratar uma agência especializada para a sua clínica é saber que o seu site será otimizado, com técnicas que garantem a melhor classificação junto ao Google e, consequentemente, a melhor visibilidade da página.

Além do mais, a agência irá usar as técnicas de SEO de modo preciso, incluindo o uso de palavras-chave ao longo do conteúdo. Dessa forma, quando alguém procurar por “plano alimentar para emagrecer”, por exemplo, irá encontrar o seu site com mais facilidade.

2 – Evita o Black Hat no SEO

Mesmo que você tenha um conhecimento básico de SEO, a escolha das palavras-chave não é a única coisa que influencia na otimização. Inclusive, se aplicadas de modo errado, os mecanismos de busca podem acusar o seu site de Black Hat.

Por exemplo, se você escolhe “tratamento para flacidez na barriga” como a sua palavra-chave, e cria um conteúdo em que o termo aparece várias vezes, o Google vai identificar o material como denso e vai penalizar a sua página, prejudicando sua estratégia e diminuindo a sua relevância.

Por esse motivo, mais do que pensar no algoritmo, é necessário refletir sobre a experiência de leitura do usuário.

Com o trabalho de uma agência de marketing digital, a criação do conteúdo é precisa, de acordo com os desejos do público, trazendo informações realmente relevantes. Além disso, os profissionais de marketing focam em um material:

  • Com conteúdos originais (não plagiados);

  • Com informações diferentes da maioria dos websites;

  • Com uma linguagem adaptada à audiência;

  • Com recursos visuais atrativos aos usuários.

Dessa forma, o texto fica muito mais interessante de ser lido, o que ajuda a aumentar o engajamento da sua clínica no ambiente online.

3 – Criação de um planejamento assertivo para redes sociais

As redes sociais aparecem como grandes protagonistas das estratégias de marketing digital. Muito disso, deve-se à popularidade desses canais e os inúmeros recursos próprios para negócios em cada plataforma.

No entanto, criar uma campanha nas redes não é tão simples quanto parece. Por esse motivo, o trabalho de uma agência de marketing digital vai além de criar anúncio facebook, mas também envolve todo um plano de segmentação e engajamento.

Vale ressaltar que na estratégia de marketing digital, o cliente ideal é definido através da criação da persona, que leva em consideração vários aspectos pessoais de um cliente, incluindo suas preocupações, objetivos e necessidades.

Sendo assim, todas as estratégias são criadas para atingir de forma efetiva o cliente desejado pela empresa, aumentando ainda mais as chances de venda ou contratação do serviço ofertado.

4 – Maior economia de tempo e dinheiro

Pode até parecer que não, mas contratar uma agência especializada em marketing digital é uma forma de ter uma significativa economia de tempo e dinheiro.

Isso porque todo o trabalho de produzir, escrever, agendar e postar o conteúdo nas redes sociais, bem como no seu website, demanda inúmeros recursos. Fora que é preciso dedicar-se ao planejamento, exigindo grande parte do seu tempo.

Portanto, assim como estratégias de marketing offline necessitam de agências especializadas para a criação de placas informativas personalizadas de acordo com o plano desenvolvido, estratégias de marketing digital também necessitam de agências especialistas no assunto.

Por isso, além de economizar ao investir em especialistas no assunto, ainda é possível realocar o tempo e o dinheiro poupado em outras outras áreas da clínica que possam estar precisando de atenção, melhorando os seus investimentos.

Além do mais, montar uma equipe de marketing interna que supra todas as necessidades da sua empresa, exige tempo e dinheiro, e muitas vezes pode não ser o suficiente, dependendo das necessidades do momento.

Ao apostar na agência de marketing digital, você garante os serviços de profissionais qualificados e preparados para agir em diferentes segmentos para fazer com que sua marca seja referência, sem precisar fazer um alto investimento.

Sendo assim, caso aconteça um imprevisto, como uma manutenção em hospital, você pode se concentrar em resolver essa questão internamente, e saber que a sua agência de marketing digital irá divulgar o ocorrido de forma profissional, e orientar seus clientes da melhor forma possível.

5 – Capacidade para educar o seu público

Através da elaboração de conteúdo qualificado, é possível educar o público a respeito de informações sobre saúde, sobretudo quando o usuário está procurando por algo que tem dúvidas (uma doença, sintomas, etc).

Assim, quando alguém busca por oftalmologista infantil, por exemplo, pode encontrar o blog da sua clínica, com conteúdos que tratam especificamente sobre a especialidade médica.

Vale ressaltar que quanto mais informações relevantes sobre o assunto, maior é a confiança do público. Afinal de contas, as pessoas preferem se consultar com uma clínica que mostra autoridade e segurança ao informar o público.

Dessa forma, as informações funcionam como uma espécie de crachá de identificação, em que é possível mostrar a confiabilidade da sua clínica e, com isso, conquistar um melhor relacionamento com os clientes e futuros pacientes.

Conclusão

Contar com os trabalhos de uma agência de marketing digital para sua clínica é ter a segurança de um serviço de divulgação e comunicação bem feito.

Afinal de contas, os conteúdos serão qualificados e todas as campanhas direcionadas, de acordo com o perfil do público e as necessidades da sua empresa.

Por essa razão, engana-se quem pensa que ter uma agência de marketing digital especializada é um gasto à toa – ao contrário disso, é um investimento que ajuda no crescimento da sua clínica, bem como melhora a reputação no mercado.

As agências, além de especialistas, possuem as ferramentas necessárias para que as estratégias desenvolvidas sejam colocadas em prática e mensuradas de forma correta, com a ajuda de sistemas de automação de marketing, como o da RD Station.

Vale considerar que o segmento de saúde está cada vez mais competitivo, ainda mais na internet. Fora que é preciso levar em conta as recomendações dos Códigos de Ética, para criar campanhas estratégicas e bem formuladas de marketing.

Esse texto foi originalmente desenvolvido em co-marketing pela equipe da Dgtalmente.7 e do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.