fbpx

Advocacia: 5 dicas de criação de landing pages

Fazer landing pages dentro de um plano de  marketing para advogados é realmente um desafio, e muito disso deve-se à própria singularidade do segmento.

A advocacia trata de assuntos de grande complexidade, para vários tipos de público, além da obrigatoriedade no cumprimento do Código de Ética e das normas da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), isso em todos os detalhes, textos, landing pages, e-mails.

Contudo, o chamado “marketing jurídico digital” é um parceiro imprescindível para qualquer escritório ou profissional autônomo que deseja ter sucesso e se destacar no mercado.

Afinal de contas, hoje em dia é possível encontrar praticamente tudo na internet, e a própria audiência busca mais informações antes de contratar os advogados.

Diante deste mercado exigente, competitivo e diverso, a recomendação é contar com a ajuda de uma agência de marketing digital, que irá orientar as melhores campanhas para o segmento jurídico, sem descumprir nenhuma norma prevista no Código de Ética.

É a chance de não errar na hora de promover o seu escritório ou trabalho como advogado, pois até mesmo para criar anúncio google ads é necessário verificar as recomendações previstas na OAB.

Entre as propostas de marketing, destaca-se a criação de landing pages, também conhecidas como “páginas de conversão”, que têm o objetivo de converter os usuários em leads (potenciais clientes), em troca de materiais valiosos.

A estratégia está diretamente relacionada com o marketing de conteúdo, visto que a landing page tende a oferecer um material rico, que pretende informar os leitores, aproximá-lo do contexto jurídico e colaborar com a formação cidadã.

Normalmente, para quem está em busca de agências, o plano de marketing digital acessível conta com essa estratégia, formulada de acordo com os objetivos de cada escritório ou advogado.

No artigo de hoje, confira 5 dicas de criação de landing pages para advogados e saiba como aproveitar ao máximo da campanha. Acompanhe a leitura!

[rock-convert-pdf id=”24497″]

1 – Conheça as recomendações da OAB

O Código de Ética e Disciplina da OAB reserva um capítulo inteiro para abordar os assuntos relacionados a publicidade em âmbito jurídico.

Por meio do provimento 94/2000, é possível verificar as recomendações, que são válidas desde a elaboração de um crachá congresso, até um anúncio em redes sociais.

Para a criação de uma landing page, é importante conhecer as disposições previstas no documento como forma de evitar alguns erros que podem passar despercebidos, mas comprometem a integridade do profissional ou do escritório.

Entre algumas orientações, destacam-se:

  • Não utilizar fotos de tribunais em qualquer divulgação;
  • Não oferecer consultas gratuitas em ambiente online;
  • Não fornecer informações de valor e honorários;
  • Não disponibilizar consultas ou serviços por e-mail;
  • Não configurar mercantilização da profissão.

A partir dessas recomendações, conclui-se que a landing page para advogados deve se centrar na oferta de conteúdo informativo – algo que abre espaço para divulgação na internet, já que as plataformas online têm uma liberdade maior para criação de materiais.

Ou seja, diferentemente do que ocorre em alguns setores, em que se pode oferecer um cupom de desconto para compra de gaveteiro com rodinhas, por exemplo, essa estratégia não é permitida no marketing jurídico.

Sendo assim, as landing pages para advogados devem contar com outros materiais, como e-books, webinários, inscrição em newsletter, entre outras propostas criativas, mas com objetivo de compartilhar conhecimento e informação relevante com o público.

Também é necessário ir além do que o visitante normalmente encontraria em um blog post.

Ou seja, os conteúdos devem ser mais aprofundados, tratando de temáticas complexas e trazendo referências em fontes credíveis.

2 – Crie títulos simples e diretos

Os títulos são os chamarizes da sua landing page. Por esse motivo, eles precisam ser claros, objetivos e criativos, para que os usuários tenham interesse em visitar a sua página.

De acordo com um estudo feito pelo Copyblogger, 8 em cada 10 pessoas leem apenas o cabeçalho de um site, e somente 2 em cada 10 seguem adiante com a leitura do restante da página.

Portanto, é preciso ir direto ao ponto, trazendo a proposta de valor da sua oferta.

Por exemplo, se a intenção é oferecer um desconto ao comprar cloreto de magnesio pa em pó 1kg, essa informação deve aparecer já no título.

O subtítulo também é importante e deve seguir as mesmas recomendações. Mas cuidado para não repetir as ideais e tornar a leitura cansativa para os visitantes.

3 – Use cores contrastantes

As cores de uma landing page devem refletir a identidade visual da empresa.

Ou seja, se o escritório de advocacia tem um logo e algumas tonalidades principais em todo o site, é necessário seguir essa paleta, para personalizar também a página de conversão.

No entanto, no caso de uma landing page, é possível ir além das cores padronizadas da empresa, já que os conteúdos visuais interferem na conversão.

Um exemplo: se uma empresa de sublimação campinas tem como cores básicas o azul marinho e o branco, coloque um vermelho no CTA (Call to Action), para ressaltar o botão de conversão ao usuário.

Dessa forma, é possível indicar exatamente onde o leitor precisa interagir e se converter.

As tonalidades fortes devem ser usadas somente nos elementos principais, não no layout inteiro, pois em excesso, elas podem comprometer a leiturabilidade do conteúdo.

Fora o vermelho, outras cores muito usadas para chamar a atenção e incentivar alguma ação são: laranja, verde e amarelo.

Não é à toa que elas são usadas nas landing pages, mas também em outros produtos, por exemplo, para destacar uma ficha para festa junina, um anúncio, entre outros.

Além das cores, o emprego de setas nas landing pages também ajudam a guiar o usuário a tomar alguma decisão, como se inscrever em um formulário ou fazer o download de um material. Tudo isso colabora com o objetivo principal da página: a conversão.

4 – Desenvolva um CTA objetivo

O texto do CTA deve deixar claro qual deve ser a atitude do usuário. Observe um exemplo:

“Baixe agora o manual do micrometro centesimal!”

A frase é curta, porém objetiva, mostrando exatamente o que o leitor deve fazer e qual será a oferta, isto é, o que receberá em troca.

Normalmente, o CTA é composto por uma frase rápida, simples, com um verbo no imperativo, para condicionar o visitante à ação.

Os CTAs podem ser usados como um texto, mas o ideal é colocá-los dentro de uma caixa ou um botão, para orientar melhor o usuário.

Mesmo quando há vontade de detalhar mais sobre o produto, serviço ou material compartilhado, como as vantagens de um relogio de ponto portatil, essas informações devem ser colocadas na descrição da landing page, ou guardadas para o material rico.

Evite palavras rebuscadas e linguagem extremamente formal, pois esses artifícios podem prejudicar a compreensão do CTA.

5 – Coloque poucas informações no formulário

Não há um tamanho ideal para o formulário da sua landing page. No entanto, algumas pessoas podem abandonar a sua página ao perceber que os campos de informações são muito pessoais ou a empresa tem uma exigência de dados.

Isso porque há o medo em trocar informações de contato na internet, já que existem hackers e indivíduos mal intencionados atrás da tela do computador.

Por esse motivo, ao disponibilizar um formulário para que o usuário tenha acesso a um vídeo de como usar papel filtro laboratório, lembre-se de priorizar os dados mais importantes, como o nome e e-mail.

Caso deseje informações extras a respeito do usuário, opte por campos de preenchimento automático, ou forneça respostas em alternativas.

Desse modo, menos pessoas irão abandonar o seu formulário e, como consequência, a taxa de conversão será maior.

Conclusão

As landing pages têm se mostrado ótimas ferramentas de Inbound Marketing, pois trabalham muito bem com a produção de conteúdo valioso e com a conversão de leads.

Para os escritórios de advocacia e profissionais autônomos, as páginas de aterrissagem podem servir como uma ótima estratégia para compartilhar materiais ricos.

Afinal, elas possuem capacidade de informar os leitores a respeito dos trâmites jurídicos, ao mesmo tempo em que respeitam as orientações do Código de Ética da OAB.

Em todo o caso, a construção de uma landing page demanda planejamento, embora a página seja reconhecida pela menor quantidade de elementos, em comparação a um site convencional.

Mas cada um dos conteúdos deve ser estrategicamente pensados para garantir a conversão desejada.

Nesse sentido, a principal dica é procurar uma agência de marketing digital especializada.

Com trabalho profissional e estratégias comprovadas, é possível obter bons resultados com a landing page e, com isso, conseguir o almejado destaque no mercado.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *